BOLETIM APPT 23 DE MAIO #COVID19

BOLETIM APPT 23 DE MAIO #COVID19

Boletim da Associação Paranaense de Pneumologia e Tisiologia APPT sobre a #COVID19 (23 de maio 2020)

Este boletim da APPT – Associação Paranaense de Pneumologia e Tisiologia –  tem por objetivo apresentar um roteiro para que a “navegação da pandemia de COVID-19” no Paraná e no Brasil transcorra de maneira segura através da formulação de sugestões específicas em estratégias de saúde pública à medida que consigamos limitar a disseminação do novo coronavírus e moldada à dinâmica da pandemia. Desta forma contribuímos com a proposição de medidas, uso de ferramentas e de abordagens para mitigar e se possível evitar uma maior disseminação da doença.

Desde fevereiro de 2020, a APPT tem sido enfática e incansável em gerar informação baseada em evidências científicas sobre a necessidade de proteção da saúde pública, assim como protocolarmente temos nos posicionado sempre em defesa da proteção dos colegas profissionais de saúde que estão na frente de atendimento.

Neste contexto, em face das últimas publicações na literatura médica, diante dos últimos acontecimentos e da veloz dinâmica desta pandemia ocasionada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 no mundo, no Brasil, na Região Sul e no estado do Paraná, a APPT vem por meio desta edição de 23 de maio de 2020 abordar algumas questões que requerem atenção e sobretudo ação imediata:

A primeira destas questões que vem à tona está associada a:

I. Necessidade de manutenção da continuidade à proteção da saúde pública e, por conseguinte, envolve a obrigatoriedade de dispormos de uma maior oferta de testes diagnósticos, mecanismos e ferramentas como por exemplo aplicativos (apps) de rastreamento dos possíveis contatos com os casos suspeitos de COVID-19 e que tem sido usado com sucesso em países como a Coréia do Sul, Japão e Cingapura. Apesar das dificuldades na aquisição de testes, não apenas em ampla escala quantitativa mas também em padrões de qualidade confiáveis, esta medida é imprescindível a fim de que possamos conter significativa e eficazmente a disseminação do SARS-CoV-2. 1,2

Mas é preciso deixar claro que isso não significa que precisamos rastrear todo mundo o tempo todo. A APPT advoga o rastreio para aqueles que são sintomáticos ou expostos à doença ou para pessoas que trabalham em profissões ou vivem em comunidades onde há uma maior chance de disseminação – para estas, precisamos garantir que os testes estejam disponíveis.3,4 Logo, é importante  dispor de tecnologias e serviços que possam ser usados ​​para esse tipo de triagem nos locais de trabalho. Essas plataformas que vão desde o uso de termômetros digitais a testes sorológicos encontram-se disponíveis e recomendamos que os empregadores implementem o rastreio de maneira segura e eficaz aos seus colaboradores.

Manter as pessoas seguras exige o acesso especialmente aos testes. Precisamos apoiar iniciativas que garantam que as pessoas que atuem ou morem em lugares que as coloquem em maior risco tenham acesso a essas oportunidades.

II.  A segunda questão envolve o trinômio que engloba a saúde pública, a economia e por último a saúde mental da população em geral e em particular a dos profissionais de saúde.

Ø  Saúde Pública & Economia

 

Fig 1 – Cidades vs. percentagem da população com imunidade ao SARS-CoV-2 5

Infelizmente ainda estamos longe da chamada “imunidade de rebanho” (termo associado ao atingimento da meta de ao menos 60% da população com imunidade ao agente infeccioso, que no caso da COVID-19 é o SARS-CoV-2), mesmo nas cidades mais atingidas nesta pandemia (Figura 1).5

Até o desenvolvimento de uma vacina para a COVID-19, teremos que confiar em absoluto nas medidas de prevenção além de distanciamento físico, higiene, uso correto de máscaras faciais e face shields (protetores faciais) pela comunidade e rastreamento de contatos.

Todos precisam ter em mente que nós enfrentaremos um risco persistente talvez até recebermos uma vacina ou até mesmo depois.

A APPT neste momento defende que esse risco pode ser gerenciado e reduzido, se nos concentrarmos em proteger e monitorar aqueles com maior ameaça de contraírem a COVID-19: idosos, portadores de doenças cardiovasculares, pneumopatas crônicos como os portadores de DPOC, popularmente conhecida como enfisema pulmonar, asmáticos, portadores de doenças fibrosantes pulmonares como fibrose cística, fibrose pulmonar idiopática, esclerose sistêmica com comprometimento intersticial, etc; os diabéticos e hipertensos, além dos moradores de asilos, albergues, presidiários e os profissionais de saúde.

No contexto de testes incluímos por exemplo máquinas como a ”Abbott ID NOW “ que está sendo usada pelos Estados Unidos neste momento e que é capaz de fornecer resultados em 5 a 13 minutos. Outros exemplos promissores são os testes rápidos da Quidel que receberam autorização de uso emergencial da FDA e o teste desenvolvido pela Startup do Hospital Albert Einstein em São Paulo que garante precisão igual ao RT-PCR.

Ø  Extensão do uso de protetores faciais para a comunidade como meio de proteção/ mitigação da COVID-19

Ø  Protetores faciais

Baseado em evidências da literatura, recentemente abordamos a necessidade do uso de máscaras faciais caseiras mediante combinações de dados de contenção e estratégias de mitigação da pandemia visando a ampliação da proteção da saúde pública.6 Utilizando este mesmo racional aliado ao reconhecimento de que ainda estamos muito aquém da capacidade de rastreamento adequada no Brasil e em pararelo respaldado pela Sociedade de Doenças Infecciosas da América (IDSA) que icluiu o uso comunitário/social de equipamentos de proteção individuais (EPIs) em suas recomendações, a APPT vem por meio deste boletim recomendar oficialmente a incorporação do uso em conjunto de máscaras faciais associado ao uso de protetores faciais afim de mitigar uma maior disseminação da COVID-19 no Estado do Paraná e sugerir a sua adoção pelos demais estados da federação como parte do processo de reabertura gradual da Sociedade e por conseguinte da Economia.

O Racional para esta recomendação oficial da APPT  é norteado:

A)     Através da relação custo-benefício de que os protetores ou escudos faciais oferecem inúmeras vantagens. Enquanto máscaras caseiras e as máscaras médicas possuem durabilidade limitada e pouco potencial de reprocessamento, os protetores faciais podem ser reutilizados indefinidamente e são facilmente higienizados através de lavagem com água e sabão ou detergentes de uso doméstico. 7

B)      Pelo atingimento do objetivo implícito do uso dos protetores faciais isoladamente ou em combinação com outras intervenções (ex. máscaras caseiras, etc.) é interromper/mitigar a transmissão viral reduzindo o R0 (valor do número médio de contágios causados por cada pessoa infectada) para menos de 1.7  De tal sorte que defendemos a imediata adoção por parte das autoridades sanitárias constituídas desta intervenção prática afim de minorar os impactos e  as conseqüências econômicas e sobretudo em saúde pública por reduzir a transmissibilidade do SARS-CoV-2 e por conseguinte da COVID-19 a níveis gerenciáveis.

 III.  Saúde Mental

Estudos realizados após eventos causadores de grandes agravos à saúde como pandemias, desastres naturais, atentados e ameaças em massa são consistentes em demonstrar o grande impacto em problemas de saúde mental imediatos e tardios em nível populacional. 8-11

A APPT alerta para a possibilidade do surgimento na população em geral de sintomas ansiosos-depressivos, relacionados à abstinência do sono, momentos de frustração, de raiva, de medo, de negação e de estresse que podem se tornar frequentes sobretudo frente à situação que estamos vivenciando de calamidade pública global. Para os profissionais de saúde podem surgir dificuldades em lidar com pacientes contaminados e ansiosos, pacientes com demandas de saúde mental, o que requer treinamento para prover o suporte psicológico e emocional  necessários para atender a estas novas demandas.

A compreensão sobre este tema levou a APPT a pesquisar sobre o surgimento de iniciativas locais e nacionais de atendimento voluntário remoto para profissionais de saúde e para a população em geral no sentido de atender a estas demandas via por exemplo projetos de teleatendimento que recomendamos abaixo:

“Cuidando de quem cuida”- SESA Paraná (Profissionais de Saúde). Via Telefone: 0800-645-5558

Teleatendimentos via Web sites ( internet):

Serviço de Psiquiatria do Hospital São Lucas- PUCRS: Projeto Conta Comigo: EstamosJuntos!

Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA). PROJETO ATENDIMENTO SOLIDÁRIO

 

IV.   Recomendações permanentes em relação a COVID-19

Ø  É de extrema importância que TODOS pratiquem as medidas de prevenção contra a disseminação do novo coronavírus tendo em vista não haver tratamento tampouco vacina disponíveis.

Ø  Mantenham o distanciamento físico de ao menos 2 metros. Ao tossir não utilize as mãos. Use o seu antebraço ou lenço descartável. Lave as mãos frequentemente com água e sabão e principalmente antes de ingerir qualquer alimento. Na impossibilidade de lavar as mãos use álcool em gel 70%

Ø  Os ambientes precisam estar sempre bem ventilados e procure evitar aglomerações.

 Ø  Em caso de sintomas gripais como coriza, espirros, tosse e/ou febre procure inicialmente a unidade de saúde ou ligue imediatamente para o seu Médico de confiança ou para o seu (sua) Pneumologista;

Ø  Em caso de dúvidas ligue para 0800 644 4414 (SUS Paraná).

Ø  Caso apresente falta de ar ou cansaço procure IMEDIATAMENTE uma Unidade de Saúde ou Hospital mais próximo.

Ø   Atente para a campanha de imunização Nacional da vacina da gripe 2020 e para as vacinas regulares de crianças (por exemplo sarampo) e de adultos conforme recomendação do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde do Brasil. 12

 

Referências:

1.        Wong JEL, Leo YS, Tan CC. COVID-19 in Singapore—current experience: critical global issues that require attention and action. JAMA. 2020;323 (13):1243-1244. doi:10.1001/jama.2020.2467

2.         Park S, Choi GJ, Ko H. Information technology–based tracing strategy in response to COVID-19 in South Korea—privacy controversies. JAMA. Publicado online. doi:10.1001/jama.2020.6602.

3.        Gottlieb S, McClellan M, Silvis L, Rivers C, Watson C. National coronavirus response: a road map to reopening. American Enterprise Institute. Disponível em: https://www.aei.org/research-products/report/national-coronavirus Acessado em 22 de Maio de 2020;

4.        Coronavirus testing, tracing, and targeted containment: Steps to reopen the country. Disponível em: https://www.aei.org/wp-content/uploads/2020/05/Dr-Scott-Gottlieb-coronavirus-testing-tracing-targeted-containment-testimony.pdf Acessado em 23 de maio de 2020.

5.        The American Enterprise Institute. Disponível em: https://www.aei.org/ Acessado em 23/05/20 20.

6.        Infectious Diseases Society of America. Policy and public health recommendations for easing COVID-19 distancing restrictions. Disponível em: https://www.idsociety.org/contentassets/9ba35522e0964d51a47ae3b22e59fb47/idsarecommendations-for-reducing-covid-19-distancing_16apr2020_final-.pdf

7.        Perencevich, E. N., Diekema, D. J., & Edmond, M. B. Moving Personal Protective Equipment Into the Community: Face Shields and Containment of COVID-19. JAMA 2020. Disponível em: https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2765525 Acessado em 23 de maio de 2020.

8.        Espinola, M. et al. Fear-related behaviors in situations of mass threat. Disaster Health 3, 102–111 (2016).

9.         Gargano, L. M., Locke, S., Li, J. & Farfel, M. R. Behavior problems in adolescence and subsequent mental health in early adulthood: results from the World Trade Center Health Registry Cohort. Pediatr. Res. 84, 205–209 (2018).

10.      Peng, E. Y.-C. et al. Population-based post-crisis psychological distress: an example from the SARS outbreak in Taiwan. J. Formos. Med. Assoc. Taiwan Yi Zhi 109, 524–532 (2010).

11.      Jacobson, M. H., Norman, C., Sadler, P., Petrsoric, L. J. & Brackbill, R. M. Characterizing Mental Health Treatment Utilization among Individuals Exposed to the 2001 World Trade Center Terrorist Attacks 14-15 Years Post-Disaster. Int. J. Environ. Res. Public. Health 16, (2019).

12.      Ministério da Saúde do Brasil: COVID-19/ coronavirus/ Últimas Notícias. Disponível em: https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/46567-comeca-segunda-feira-vacinacao-contra-gripe Acessado em 08/04/2020.

#LaveasMãos Use #Álcoolgel Evite Aglomerações e #AchateaCurva!

 

Boletim COVID-19 da APPT – 24 DE ABRIL DE 2020

Boletim COVID-19 da APPT – 24 DE ABRIL DE 2020

Novo Coronavírus (SARS-CoV-2) – Perguntas e Respostas

Qual a forma de transmissão do SARS-CoV-2?

A transmissão ocorre de 3 maneiras: gotículas, aerossol e contato.

               Gotículas são secreções respiratórias e saliva eliminadas ao falar, tossir ou espirrar e que podem conter o vírus ao serem expelidas por uma pessoa doente. As gotículas são relativamente grandes e pesadas e por ação da gravidade caem no chão rapidamente.

Os aerossóis são partículas menores, mais leves e que ficam em suspensão no ar, mas são facilmente levadas por qualquer corrente de ar. Estes são eliminados em pequena quantidade ao tossir e espirrar e em grande quantidade ao se fazer nebulização (inalação com soro fisiológico e medicamentos) e em alguns procedimentos médicos em ambiente hospitalar.

A transmissão por contato ocorre quando tocamos as mãos em alguma superfície contaminada por vírus, seja porque alguém tossiu/espirrou e as gotículas se depositaram nela ou porque alguém com a mão contaminada de vírus tocou nessa superfície. Nesse momento nossa mão ficará cheia de vírus, porém não ficaremos doentes, pois na mão o vírus não consegue entrar no nosso organismo. O problema é estar com a mão contaminada e tocarmos o rosto – olhos, nariz ou boca. Nesse momento colocamos o vírus para dentro do nosso sistema respiratório e podemos adoecer. Estima-se que uma pessoa toca o seu rosto pelo menos 20 vezes por hora, sem perceber. Por isso a importância da lavagem frequente das mãos, evitar aperto de mãos e abraços. Já o distanciamento social e evitar aglomerações previnem a transmissão pelas 3 formas.

Preciso trocar de roupas e tomar banho ao chegar em casa do mercado?

Se você estiver fazendo o distanciamento social e saindo eventualmente para o mercado, farmácia ou padaria, isso não é necessário. Mas é importante sempre lavar as mãos com água e sabão ou álcool gel, de forma adequada, isto é, lavar o dorso, entre os dedos, a ponta dos dedos, o polegar, por pelo menos 20 segundos.

Caso alguém ao seu lado espirre ou tussa, a chance de caírem gotículas em sua roupa é maior, aí neste caso vale a pena chegar em casa, tomar banho e lavar a roupa.

Posso ter o vírus na minha barba ou cabelo? Qual o risco de me contaminar?

Sim, o vírus pode ficar nestas superfícies, mas a chance de contágio depende da quantidade de vírus e das suas mãos. Se você mantiver o distanciamento social, diminui muito a chance de alguém eliminar gotículas no seu cabelo. Depois disso você precisaria tocar o cabelo justamente onde tenha vírus em quantidade suficiente e depois tocar o rosto com a mão contaminada. Impossível? Não. Improvável? Sim.

Devo separar as roupas ao lavar? Posso eliminar vírus ao mexer e chacoalhar as roupas?

Segundo o CDC (Centers for Diseases Control and Prevention)[1], para lavagem do dia a dia, não há preocupação. Lave suas roupas como sempre, com água e sabão na quantidade recomendada pelo fabricante. O coronavírus, assim como o vírus da gripe (influenza), é envolto por uma capa de gordura (envelope) que é frágil e vulnerável ao sabão.

Quanto ao mexer nas roupas existe sim o risco de jogar vírus no ar, mas para isso precisaria de muitos vírus para causar preocupação.

A exceção ocorre quando você tem contato próximo com alguém sabidamente doente ou precise limpar o local onde essa pessoa permaneceu. Neste caso, vale a pena usar luvas e máscara, evitar bater/chacoalhar as roupas e lençóis e até usar água quente[1]. Se quiser pode misturar com as roupas não contaminadas e lavá-las juntas. Outra alternativa é deixar a roupa parada por dois dias, pois o vírus irá desidratar e inativar, como explicado a seguir.

Quanto tempo o vírus fica viável em tecidos e outras superfícies?

Um estudo publicado no The New England Journal of Medicine (NEJM) em 16 de abril de 2020[2] mostrou que, em condições ideais, o vírus pode sobreviver até 3 dias em plásticos e aço inoxidável e até 24h em papelão. Outro estudo publicado no The Lancet Microbe em 2 de abril de 2020[3] mostrou que em papel comum e lenços de papel o vírus não foi detectado após 3h; em madeira e tecido (não especificado o tipo de tecido testado) após 2 dias; em vidro e dinheiro após 4 dias; e em aço e plástico após 7 dias. Em um estudo de 2005[4] com outros coronavírus, foram feitos testes em papel e em algodão e demonstrou-se viabilidade viral por 5 minutos, 3 horas e até 24 horas, a depender da quantidade de vírus injetada.

Devo lavar ou higienizar alimentos trazidos do mercado?

Frutas e verduras que forem ingeridas cruas devem ser lavadas com uma solução de hipoclorito de sódio (água sanitária encontrada em mercados, verifique no rótulo a concentração de 2 a 2,5%) na diluição de 4 colheres de chá (equivalentes a 1 colher de sopa) para 1 litro de água, deixando em contato por pelo menos 15 minutos e após este tempo as frutas, verduras e legumes devem ser lavados com água corrente para a remoção do excesso de cloro[7].

⚠️ Os produtos acondicionados em garrafas pet, vidro e latas podem ser lavados com água e sabão. Aquelas acondicionadas em embalagens plásticas, que não podem ser lavadas, devem ser higienizadas borrifando álcool 70% líquido.

Preciso tomar cuidados com comida solicitada por entrega (delivery)?

Sim, para evitar qualquer contaminação, o ideal é aquecer novamente o alimento a 70ºC por 5 minutos[3] [5]. Caso não tenha termômetro, uma maneira prática de se observar se o alimento está na temperatura ideal é reaquecer até ferver (borbulhar), podendo ser feito no forno convencional, no micro-ondas ou até em uma panela.

Devo me preocupar com correspondências, embalagens, jornais e revistas?

O risco é muito baixo e possível somente em teoria. Basta tomar as precauções – lavar as mãos e evitar tocar o rosto. Se ainda assim quiser se garantir, pode deixar tudo separado e sem ninguém tocar por 24 horas.

Qual o risco de contágio ao sair se exercitar ou passear com o cachorro?

O risco é extremamente baixo, desde que seja em ambientes totalmente abertos, se mantenha uma distância segura de outras pessoas, se evite aglomerações e se evite tocar as mãos no rosto sem as ter higienizado. Não há risco de se contrair o vírus somente pelo ar, sem ter alguém doente por perto.

Ao retornar do passeio com o cachorro, recomenda-se lavar as patas com água e sabão antes de entrar em casa, não sendo indicado o uso de álcool ou água sanitária pois podem causar lesões na pele e unha dos animais.

Devo retirar meus calçados ao entrar em casa?

Os calçados podem trazer vírus e bactérias de todo tipo, mas não quer dizer que necessariamente serão fonte de infecção. Mas vale a pena conversar com a família para manter a casa “livre de calçados da rua”, deixando-os na porta de entrada da casa ou do apartamento e usar outro tipo de calçado dentro de casa, especialmente se tiver uma criança que engatinha e brinca no chão ou alguém com alergias ou com imunidade comprometida.

 

Por fim, a APPT reitera a necessidade de não baixar a guarda em relação à dinâmica desta epidemia que possui uma velocidade de mudança de cenário factível e constante. Este alerta é direcionado às populações de maior risco como:

  • Maiores de 60 anos;
  • Profissionais de Saúde;
  • Portadores de doenças crônicas como hipertensão arterial, diabetes, doenças pulmonares – DPOC (bronquite crônica e enfisema pulmonar), asma moderada e grave, doenças fibrosantes pulmonares como FPI (Fibrose Pulmonar Idiopática), esclerose sistêmica associada a doença intersticial pulmonar, fibrose cística.

DÚVIDAS? CONSULTE SEU MÉDICO DE CONFIANÇA OU UM (A) PNEUMOLOGISTA!

Referências Bibliográficas:

  1. CDC, Cleaning and Disinfection for Households. Disponível em: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/prevent-getting-sick/cleaning-disinfection.html (acessado em 23/04/2020)

 

  1. van Doremalen N, Bushmaker T, Morris DH, et al. Aerosol and Surface Stability of SARS-CoV-2 as Compared with SARS-CoV-1. N Engl J Med 2020 org/10.1056/NEJMc2004973

 

  1. Chin AWH, Chu JTS, Perera MRA, et al. Stability of SARS-CoV-2 in different environmental conditions. The Lancet Microbe 2020 org/10.1016/S2666-5247(20)30003-3

 

  1. Lai MYY, Cheng PKC, Lim WWL. Survival of Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus. Clinical Infectious Diseases 2005 org/10.1086/433186

 

  1. ANVISA, RDC nº 216, de 15 de setembro de 2004.

 

  1. HKUMed on COVID-19: Basic Information about the Virus. Disponível em: https://www.med.hku.hk/en/covid-19/articles/basic-information (acessado em 23/04/2020)

 

7. CVS-6/99, de 10.03.99. Disponivel em: http://www.cvs.saude.sp.gov.br/zip/E_PT-CVS-06_100399.pdf Acessado em 24/04/2020.

 

Dr. Irinei Melek

Presidente APPT

 

Assinam este documento:

Dr. Marcos Nascimento

Coordenador do Grupo de Crise sobre a #COVID19 da Associação Paranaense de Pneumologia (APPT)

Twitter/ Insta: @PulmaoSA

 

Dr. Lucas Moreira

Twitter: @lmcarambei

Insta: @lm.lucasmoreira

 

Dr. Helder Vinicius Ribeiro

Insta/ Face: @drhelderpneumo

 

Dr. Sérgio Grava

Twitter/ Insta: @gravamed

 

 

Boletim APPT sobre a #COVID19 | 03 de Abril de 2020

Boletim APPT sobre a #COVID19 | 03 de Abril de 2020

Destaques

  • O SARS-CoV-2 permanece circulando em todos os continentes (pandemia).
  • No Brasil há um número crescente de casos confirmados de COVID-19, perfazendo 8.2229 casos confirmados para 343 óbitos até 03 de Abril de 2020 as 14h)1

 

  • Figura 1- número de casos confirmados & óbitos no Brasil em 03/04/2020 1

 

  • Ministério da Saúde às 17h atualizou o número de casos totais no país (9056) e óbitos 359, perfazendo um total de 4%. A distribuição por UF as 17h de 03/04/2020, mostra uma incidência maior de casos em ordem decrescente de prevalência distribuídos pelo DF, SP, Ceará, Rio de Janeiro e Amazonas. Houve predominância dos casos de SARS-CoV-2 em pessoas > 60 anos [86%] -Fig2 abaixo.2

  • SRAG

Segundo o ministério da Saúde a curva de SRAG ( Síndrome Respiratória Aguda Grave), o número de casos perfaz 7% pelo novo coronavírus e os restantes 93% são devidos a outros vírus entre eles influenza A ( H1N1) e B Victória e outros (Fig-3 abaixo). Este cenário deve se inverter nos próximos dias. 2,3

Fig 3- Adaptado de Fiocruz (http://info.gripe.fiocruz.br/) 3

  • Máscaras

Tendo em vista os últimos relatórios do Ministério da Saúde do Brasil  e diante o número crescente de casos confirmados de COVID-19, e principalmente embasado na alta velocidade de propagação do SARSCOV-2 e o fato de grande parte das pessoas assintomáticas serem aptas a transmitir o novo coronavírus, a APPT vem através deste boletim recomendar as seguintes orientações a respeito de uso de máscaras cirúrgicas: 4,5

  1. 😷 Pessoas que apresentam sintomas respiratórios ( tosse, coriza, espirros etc);
  2. 😷 Pessoas que prestam atendimentos a doentes;
  3. 😷 APPT reforça que o principal cuidado é a higiene de mãos! Para Profissionais de Saúde a recomendação é:
  • Se for atender assintomáticos sem manipular via aérea use máscara cirúrgica. E para os que vão manipular via aérea: é IMPERATIVO o uso de máscaras N-95 ou similares.

 Mascaras Artesanais (!)6

  1. 😷 Tendo em vista as características e particularidades deste novo coronavírus a APPT recomenda o uso de máscaras artesanais por pessoas assintomáticas como por exemplo: trabalhadores que lidam com o público por exemplo trabalhadores de serviços essenciais ( posto de gasolina, trabalhadores de supermercado, farmácias),  trabalhadore e vendedores em padarias, feirantes etc), devendo o uso destas máscaras artesanais obrigatóriamente sempre ser de uso único!6

 

Referências:

  1. Harvard’s Operation Dashboard for Arcgis – Real time Covid 19. Disponível em: http://gisanddata.maps.arcgis.com/apps/opsdashboard/index.html#/bda7594740fd40299423467b48e9ecf6 Acessado em 03/04/ 2020.
  2. Transmissão ao vivo via canais do Ministério da Saúde do Brasil – Governo Federal atualiza dados e ações de enfrentamento no combate ao novo #coronavírus, no Palácio do Planalto Disponível em: https://pscp.tv/w/cVY8zjE0MjI5ODgwfDFCUkpqUVdCV3lWR3ee9bb-6DUxzLDwEqg7QGaHEzYciH4FV4u_W0tx9eI2mg== Acessado em 03/04/2020 as 17h.
  3. Monitoramento de casos reportados de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) hospitalizados no Brasil. Disponível em: http://info.gripe.fiocruz.br/ Acessado em 03/04/2020.
  4. Interim pre-pandemic planning guidance: community strategy for pandemic influenza mitigation in the USA—early, targeted, layered use of nonpharmaceutical interventions. Atlanta, GA: US Department of Health & Human Services, CDC; 2007. Disponível em: https://stacks.cdc.gov/view/cdc/11425 Acessado em 03/04/2020.
  5. Rational use of personal protective equipment for coronavirus disease (COVID-19). Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/331498/WHO-2019-nCoV-IPCPPE_use-2020.2-eng.pdf. Acessado em: 3 de abril de 2020.
  6. Davies, A., Thompson, K. A., Giri, K., Kafatos, G., Walker, J., & Bennett, A. (2013). Testing the efficacy of homemade masks: would they protect in an influenza pandemic?. Disaster medicine and public health preparedness, 7(4), 413-418.

#LaveasMãos Use #Álcoolgel. Evite #aglomerações & Juntos vamos #AchatarACurva!

 

Presidente APPT: Dr. Irinei Melek

Dr. Marcos Nascimento – Insta/ Twitter: @PulmaoSA

Dr. Helder Vinicius Ribeiro – Insta: @drhelderpneumo | Face: @drhelderpneumo

Dr. Lucas Moreira – Insta: @lm.lucasmoreira | Twitter: @lmcarambei

Dr. Sérgio Grava – Twitter/Insta: @gravamedcxO

COVID19: Boletim COVID-19 da APPT – 30/03/2020

COVID19: Boletim COVID-19 da APPT – 30/03/2020

A Associação Paranaense de Pneumologia e Tisiologia (APPT) vem por meio deste boletim solicitar formalmente das autoridades sanitárias vigentes a ampliação do leque de proteção dos grupos de risco para além da idade e passar a não apenas incluir nos grupos de risco mas “licenciar” essas pessoas para ficar em casa!

📌 60 anos ou mais;

📌 Cardiopatas graves ou descompensados (insuficiência cardíaca, infartados, portadores de arritmia,revascularizados);

📌 Hipertensão arterial a critério clínico;

📌 Diabéticos, a critério clínico;

📌 Pneumopatas graves ou descompensados (dependentes de oxigênio, portadores de asma moderada/grave, DPOC, fibrose cística, fibrose pulmonar idiopática, fibrose por esclerose sistêmica, outras doenças fibrosantes pulmonares);

📌 Imunodeprimidos;

📌 Doenças renais crônicas em estágio avançado (graus 3, 4 e 5);

📌 Gestantes de alto risco;

  • Lembrando que todas essas patologias devem ser atestadas por um profissional médico de determinada especialidade.

 

A APPT comunica, também, que está montando um curso estratégico de treinamento em ventilação mecânica voltado para médicos pneumologistas e de especialidades afins para que tenhamos uma reserva estratégica de profissionais habilitados para lidar com medicina intensiva imediatamente se preciso for.

 

Assinam este documento:

Dr. Irinei Melek – Presidente APPT

 

Dr. Marcos Nascimento – Coordenador do Grupo de Crise sobre a #COVID19 da Associação Paranaense de Pneumologia (APPT)

Twitter/ Insta: @PulmaoSA

 

Dr. Lucas Moreira

Twitter: @lmcarambei

Insta: @lm.lucasmoreira

 

Dr. Helder Vinicius Ribeiro

Insta/ Face: @drhelderpneumo

 

Dr. Sérgio Grava

Twitter/ Insta: @gravamed

Boletim COVID-19 da APPT  – 20/03/2020

Boletim COVID-19 da APPT – 20/03/2020

#COVID19: Normas de Orientações para o período de isolamento/quarentena

📌 Recomenda-se para que idosos > 60 anos fiquem em casa (pois são o maior grupo de risco).

❌Não fazer reuniões ou receber amigos no condomínio nesse período de isolamento e quarentena;

📌 Estabelecer cuidado ao pegar alimentos via entregadores (Aconselha-se a manter distanciamento físico de 1 (UM) metro para a segurança mútua de TODOS!).

Obs: Preferencialmente pague via aplicativo 📲para minorar a possibilidade de contágio.

📌 Ao receber comida, pizza, etc ➡ Imediatamente reaqueaça o alimento na temperatura recomendada para alimentos quentes (acima de 70ºC), para mitigar (diminuir) o risco de contágio por manipulação.

📌 Acondicionar e descartar imediatamente as embalagens / sacolas de comida em outro saco plástico de lixo para EVITAR contagiar o zelador ou outras pessoas.

📌 O zelador do condomínio precisa preventivamente usar luvas descartáveis para manipular a coleta de lixo.

📌 A palavra de ordem é prevenir. É preciso que cada cidadão entenda a necessidade de diminuir a velocidade de propagação da doença para garantir o tratamento adequado aos doentes mais graves. Se cada um fizer a sua parte, será mais fácil enfrentar este momento. #JuntosSomosMaisFortes e Vamos #AchatarACurva diminuindo o número de casos.

Dr. Irinei Melek
Presidente APPT

Assinam este documento:

Dr. Marcos Nascimento
Coordenador do Grupo de Crise sobre a #COVID19 da Associação Paranaense de Pneumologia (APPT)
Twitter/ Insta: @PulmaoSA

Dr. Lucas Moreira
Twitter: @lmcarambei
Insta: @lm.lucasmoreira

Dr. Helder Vinicius Ribeiro
Insta/ Face: @drhelderpneumo

Dr. Sérgio Grava
Twitter/ Insta: @gravamed

Fontes:

1. Comitê Coronavirus APPT oficial (Twitter / Instagram @PneumoPR)
2. CDC: Desinfect Your Home if Someone is Sick. Disponível em: https://cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/prepare/disinfecting-your-home.html Acessado em 20/03/2020.
3. RDC número 216 de 15 de Setembro 2004 – Anvisa.

BoletimAPPT #COVID19 (16 março 2020)

BoletimAPPT #COVID19 (16 março 2020)

Destaques!

  • O SARS-CoV-2 permanece circulando em todos os continentes (pandemia).
  1. Troque a sua preocupação pela prevenção.

 

  1. É de extrema importância que TODOS pratiquem as medidas de prevenção contra a disseminação do novo coronavirus tendo em vista não haver tratamento tampouco vacina disponíveis.

 

  1. Mantenham o distanciamento físico de ao menos 1 metro; ao tossir não utilize as mãos. Use o seu antebraço ou lenço descartável; lave as mãos frequentemente com água e sabão e principalmente antes de ingerir qualquer alimento. Na impossibilidade de lavar as mãos use álcool gel 70%; os ambientes precisam estar sempre bem ventilados; e procure evitar aglomerações.

 

  1. Em caso de sintomas gripais como coriza, espirros, tosse e/ou febre não procure inicialmente a unidade de saúde ou Hospitais; Ligue para o seu Médico de confiança ou ligue para um (a) Pneumologista;

 

  1. Em caso de dúvidas ligue para 0800 644 4414 (SUS Paraná)

 

  1. Caso apresente falta de ar, ou cansaço procure IMEDIATAMENTE uma Unidade de Saúde ou Hospital mais próximo.

 

  1. Importante:  A APPT recomenda e orienta expressamente para atentar para a campanha de imunização Nacional da vacina da gripe 2020, dando prioridade para os idosos e profissionais de saúde a partir do dia 23 de março, conforme determinação do Ministério da Saúde do Brasil 2

 

  • O Ministério da Saúde atualizou neste segunda-feira 16/03/2020 o número de casos de COVID19 no país.
  • 234 casos confirmados
  • 064 casos suspeitos
  • 624 casos descartados
  • Dois estados têm transmissão comunitária: SP e RJ.

 

  1. Dados Epidemiológicos no Mundo e Necessidade de Aderir as Medidas de Prevenção

2.1. Pandemia GLOBAL

Essa Pandemia tem apresentado suas particularidades com destaque para uma altíssima capacidade de transmissão do #SARSCoV19 inclusive por pacientes pouco sintomáticos /assintomáticos. O número de casos no mundo em 16 de março (até as 14h) atingiu 174.995/ com 6.706 óbitos. Entre os países segue a relação número de casos/óbitos respectivamente:  China (81.032 / 3.099), Itália (24.747 / 1.809), Irã (14.991 /853), Espanha (9.428 /335), Coreia do Sul (8.236 /75), Alemanha (6.672/14), França ( 5.397 / 127), Estados Unidos( 3.813 / 69) e o Brasil (234/ 0)*

Figura 1: Adaptada de Harvard’s Operation Dashboard for Arcgis ( Dados até as 14h – 16/03)2

* Dados do brasil referente a 16/03/2020 ( 17h)

 

2.2 TRANSMISSÃO COMUNITÁRIA da -19 na Itália:

A Itália é outra particularidade pois “ praticamente reeditou” a epidemia iniciada na China, pois as curvas epidêmicas são extremamente semelhantes (vide figura 2) Chama a atenção o estado de alerta máximo para Emergência de Saúde Pública na Itália, pois apesar de apresentarem neste exato momento 1/4 do número de casos Chineses, registram 50% dos óbitos confirmados na China, com impacto a saturação ocorrida em seu sistema de saúde exemplificada pela ocupação dos leitos de UTI (figura 3).

 

  Fig. 2- Lombardia e Wuhan possuem o mesmo número de habitantes (10 Milhões).  Wuhan em 17/1 registrava 62 casos (duplicaram no dia seguinte). Itália em 21/02: 20 casos (triplicaram no dia seguinte. em Adaptada deThe Algebris Policy & Research Forum 3

 

 

 

Fig 3-  Itália: Saturação de leitos de UTI. Adaptada de The Algebris Policy & Research Forum3

 

 

  1. Medidas de Prevenção & Mitigação do Impacto da atual Pandemia de COVID19

 Infelizmente este Estado de esgotamento do Sistema de Saúde italiano é reflexo da falta de obediência às medidas de prevenção e ás ações para a mitigação do impacto da pandemia de COVID19. Observe abaixo que houve um número maior de casos de #COVID19 na cidade de #Bergamo que retardou a implantação das medidas de prevenção e somente iniciou o isolamento por quarentena em 08/03 (rosa), enquanto a cidade de Lodi registrou um menor número de casos, exatamente por acatar mais precocemente em 23/02, e respeitar as medidas indicadas pela autoridade Sanitária local (fig. 4).

 

 

Figura 4: Número de casos confirmados diários X tempo em dias. Bergamo (Rosa) & Lodi (Verde). Adaptado de LEVERHULME CENTRE FOR DEMOGRAPHIC SCIENCE 4

  1. Recomendações APPT

 

  1. 1 Medidas de Prevenção e Mitigação da Epidemia (#AchateACurva)

 

A APPT através dos Membros de sua comissão de Crise para a COVID19 insiste na recomendação e obediência das medidas de prevenção afim de minorar o impacto da atual pandemia ocasionada pelo novo coronavirus. Reforçamos esta necessidade para que TODA a população pratique:

  • Etiqueta respiratória: Ao Tossir use o antebraço ou lenços de papel.
  • Isolamento de sintomático: Não frequente ambientes públicos, como shoppings, comércio, escolas e o ambiente de trabalho em caso de sintomas gripais como tosse, febre, dor muscular e coriza. Ligue para o seu médico de confiança e fique em casa em isolamento domiciliar por até 14 dias.
  • Equipamento de Proteção Individual: Apenas use máscara se você estiver numa das seguintes condições:
  1. Caso esteja doente;
  2. Se você for cuidar de um doente:
  3. Se você for profissional de saúde;
  4. Se for determinado pelo seu Médico.
  • Idosos: Coloquem na agenda! Dia 23/03: Vacina da Gripe juntamente com os profissionais de Saúde. A APPT recomenda restringir o contato social ou seja: Evitar viagens desnecessárias, ir ao cinema, a shoppings, a shows e locais com aglomeração como igrejas, locais de culto, partidas de futebol / evento esportivo e festas ou feiras de eventos. 1
  • Doentes Crônicos: Mesmas recomendações para idosos. Devendo por determinação do Ministério da Saúde Vacinar-se para gripe a partir de 16/04/2020. 1
  • Eventos com aglomeração – governamentais, esportivos, artísticos, culturais, políticos, científicos, comerciais e religiosos e outros com concentração próxima de pessoas:
  • Considerando a inexistência de tratamento e de vacina para o novo coronavirus SARSCoV -19, a sua velocidade de propagação, os fatos ocorridos em Wuhan e mais recentemente na Itália que levaram a uma emergência de Saúde pública em alerta Máximo por ter suplantado as previsões e a capacidade de atendimento dos respectivos Serviços de Saúde, a Associação Paranaense de Pneumologia e Tisiologia (APPT) vem muito respeitosamente recomendar que:

 

  1. A Secretaria de Estado de Saúde do Estado do Paraná (SESA PR) Adiante-se ao protocolo dirigido a áreas de transmissão comunitária e considere o fechamento das Escolas Públicas e Privadas de todo o Paraná pelo período mínimo de 3 semanas a partir de 16/03/2020, sujeito a reavaliação conforme evolução dinâmica da atual pandemia de COVID19 no território Nacional, na Região Sul do País, nos países circunvizinhos (Argentina e Paraguai) e nos Estados de São Paulo e do Paraná.

 

  1. A SESA PR que considere fortemente recomendar o cancelamento de eventos de grande monta como Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina (EXPO LONDRINA 2020), agendada para ocorrer a partir de 9 de abril de 2020.

 

  1. A SESA PR que considere fortemente a recomendar aos empresários e seus colaboradores que adotem a prática de trabalho em casa (home office);

Os próximos gráficos são muito importantes, pois:

  1. Compara o tráfico diário do metrô de 2017- 2020 em 2 cidades Seoul & Daegu. Com a interrupção do tráfego em 2020 através da implantação das medidas de prevenção precoce, a queda no número de casos aproximou-se de 50%.
  2. Associada ao gráfico sobre a necessidade imperativa de implantação das medidas não farmacológicas de prevenção para epidemias (fig. 6), a APPT e os seus sócios ratificam a importância de adiantarmos a implantação precoce de medidas ainda mais restritivas.

Não podemos esperar a hora de agir é agora!  Junto somos mais fortes e vamos conseguir #AchatarACurva!

 

Figura 5-  trafico diário do metro em Seoul e Daegu versus número de casos. Adaptado de COVID19: Min. Da Saúde da Coréia do Sul. 5

Figura 6 – como medidas de prevenção podem retardar o contágio da Covid-19 e evitar o colapso do sistema de saúde.6 

Referências:

  1. Ministério da Saúde do Brasil – últimas notícias. Disponível em: https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/46518-idosos-serao-os-primeiros-a-receber-vacina-contra-gripe. Acessado em 14/03/ 2020;
  2. Harvard’s Operation Dashboard for Arcgis – Real time Covid 19. Disponível em: http://gisanddata.maps.arcgis.com/apps/opsdashboard/index.html#/bda7594740fd40299423467b48e9ecf6 Acessado em 16/03/ 2020.
  3. The Algebris Policy & Research Forum. Disponível em: https://www.algebris.com/policy-research-forum/blog/covid-19-facts/ Acessado em 15/03/2020
  4. LEVERHULME CENTRE FOR DEMOGRAPHIC SCIENCE. Disponível em: http://www.demographicscience.ox.ac.uk/ . Acessado em 15/03/2020
  5. COVID19 Ministério da Saúde da Coréia do Sul. View Report 2020;
  6. Interim pre-pandemic planning guidance: community strategy for pandemic influenza mitigation in the USA—early, targeted, layered use of nonpharmaceutical interventions. Atlanta, GA: US Department of Health & Human Services, CDC; 2007. Disponível em: https://stacks.cdc.gov/view/cdc/11425 Acessado em 16/03/2020.

#LaveasMãos Use #Álcoolgel  Evite #aglomerações & #Achateacurva

 

BOLETIM DA APPT SOBRE A PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS 12 DE MARÇO DE 2020

BOLETIM DA APPT SOBRE A PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS 12 DE MARÇO DE 2020

Destaques:

Em 31 de dezembro de 2019 na cidade de Wuhan na China foram detectados casos de pneumonia provocada por um novo coronavírus denominado SARS-COV-2 pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e a doença recebeu o nome de COVID-19 (Sigla em Inglês para “Doença causada pelo coronavirus descoberto em 2019”).

Até o presente momento, como não há tratamento ou vacina disponível contra o SARS-COV-2, é muito importante praticarmos as medidas preventivas para diminuir a capacidade de contágio deste novo coronavírus, como por exemplo:

1) Ao tossir ou espirrar, utilize o antebraço ou um lenço descartável, ao invés de
utilizar as mãos (“etiqueta da tosse”).

2) Não tocar a face, olhos, nariz, boca.

3) Higienização: Lave as mãos com água e sabão várias vezes ao dia ou na impossibilidade de lavar as mãos, utilize álcool gel a 70%!

4) Limpe óculos, telefones celulares, teclados, mouse, mesas e outras superfícies de uso diário com álcool líquido 70% e em seguida lave as mãos com água e sabão.

5) Lembrar e ensinar estes itens a todos os membros da família, da sua escola e/ou do seu local de trabalho para que pratiquem frequentemente, especialmente antes das refeições.

Na última quarta-feira, dia 11 de março de 2020, a OMS estabeleceu a COVID-19 como uma Pandemia (Epidemia Mundial), visto que o SARS-COV-2 está em atividade e circulando em todos os continentes com elevado número de casos em várias regiões e países, com destaque neste momento para a região da Europa Central (Itália), Oriente Médio (Irã), Ásia (China, Coréia do Sul, Singapura e Japão), Oceania (Austrália) e Américas (Estados Unidos, Canadá, México, Brasil e Argentina).

Brasil: Segundo o Ministério da Saúde do Brasil até às 11 horas do dia 12/03/2020 haviam 60 casos de COVID-19 confirmados no país, com evidência da ocorrência de transmissão local, ou seja, o vírus está sendo transmitido a partir de uma pessoa que não viajou ao exterior, um indicativo de que o novo coronavírus está circulando no país.

A situação no Brasil até esta data é de atenção e de observação em relação aos próximos acontecimentos sendo aconselhado para que a população siga com calma e confiança as orientações das autoridades sanitárias como o Ministério da Saúde, a Secretaria de Saúde do Estado do Paraná e do município onde reside.

Esclarecimentos:

A maioria dos casos de COVID-19 são classificados como leves (~80%), significando que não necessitam de internação hospitalar, sendo recomendado a permanecer em quarentena, também conhecida como isolamento respiratório domiciliar. Os casos que necessitam de hospitalização perfazem cerca de 15%: E em uma minoria de casos pode ser necessário o suporte em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI).

Por que é preciso ter cuidado?

Conforme dito acima, ainda não há tratamentos ou vacina disponíveis para o SARS-COV-2. Além disso, este novo coronavírus possui uma alta capacidade de contágio. A chamada “R0”, representa o número médio de “contagiados” por cada pessoa doente. A “R0” do SARS-COV-2 gira em torno de 3. Em outras palavras, isso significa que um portador de COVID-19 transmite este novo coronavírus para outras 3 pessoas. Para fins de comparação, o R0 da gripe suína provocada pelo vírus influenza H1N1 durante a pandemia de 2009 foi menor, de aproximadamente 1,5.

Eu preciso me preocupar em usar máscaras cirúrgicas ou máscaras profissionais N-95 para estar protegido e ir ao trabalho ou a escola? Não! Máscaras só devem ser usadas em três situações:
1) Por Profissionais de Saúde;
2)Por pacientes sintomáticos;
3) Por cuidadores de pacientes.

A preocupação maior é com os idosos e portadores de doenças respiratórias (tabagistas, DPOC – enfisema pulmonar/bronquite, Asma, Fibrose Pulmonar, etc), portadores de doenças cardíacas, diabetes, portadores de câncer, e imunossuprimidos.

As medidas de prevenção listadas acima são justamente para evitar que o vírus atinja a população como um todo e especialmente não atinja aos grupos de risco.

O período de incubação do SARS-COV-2, que é o tempo entre o dia do contato com um portador da COVID-19, e o início dos primeiros sintomas, gira em torno de 5 dias. Já o período de contágio pode ocorrer até depois do término dos sintomas. Por isso é importante mantermos e aceitarmos o período de quarentena quando indicado pelo Médico.

Crianças raramente são afetadas, não houve até este momento relato de óbitos nessa população. Todavia, as crianças e adolescentes podem transmitir o vírus SARS-COV-2 para os pais e idosos da família como os avós, principalmente por terem contato mais próximo com beijos e abraços. O SARS-COV-2 é transmitido pelo ar através de gotículas ao tossir, espirrar, falar e pelo contato das mãos com os olhos, bocas e nariz. Por isso é que se recomenda para não tocar o rosto.

Proteção de Agentes de Segurança, Polícia, Guardas Municipais, Agentes de Defesa Civil, Bombeiros, Militares, procurem seguir as determinações de suas corporações e as orientações da Autoridade Sanitária e em paralelo seguir as recomendações usuais de prevenção listadas neste boletim.

Profissionais de Saúde são a primeira linha de atendimento à população e, portanto, guardiões da saúde pública. Sendo assim, precisam utilizar equipamentos de proteção individual (EPI) para evitar o contágio durante o atendimento de pacientes suspeitos ou confirmados de COVID-19.

Para atendimento ambulatorial recomenda-se o uso de máscara cirúrgica. Para procedimentos que envolvam aerossóis, como na intubação, recomenda-se o uso de um kit composto de máscara N-95 ou PFF2, avental, luvas descartáveis e óculos ou protetor facial.

Mensagens Finais:
 Preste muita a atenção em relação às medidas de prevenção!

 Avalie a necessidade de isolamentos sociais, evitando reuniões, eventos e atividades em grupos consideradas não essenciais na sua cidade.

 Proteja os asilos e os idosos prioritariamente, afinal eles constituem o principal grupo de risco juntamente com os portadores de doenças crônicas.

 Alertamos para que mercados, supermercados, laboratórios, farmácias, bancos, agências de Correios e demais estabelecimentos ofereçam álcool gel a 70% para, por exemplo, passar nos carrinhos, corrimão, maçanetas, etc, respeitando assim as medidas de prevenção!

 Insista na etiqueta da tosse! Tossir/espirrar é no braço agora! E não mais na mão! Insista na lavagem frequente das mãos com água e sabão. Não toque a boca, olhos e nariz. Lembre: o uso de máscaras é recomendado apenas para quem está doente e para profissionais de saúde! Respeitar essa medida é importante para que não faltem EPIs para quem é responsável pela nossa proteção!

 Dúvidas? Procure um(a) Pneumologista ou seu Médico(a) de confiança! E não esqueça: A hora é agora! Precisamos achatar a curva da epidemia através das medidas de prevenção! Lave as mãos e #AchateACurva!

Associação Paranaense de Pneumologia e Tisiologia (APPT) / Comitê Coronavírus APPT Presidente da APPT: Dr. Irinei Melek
Participaram da elaboração deste Documento: Dr. Marcos Nascimento, Dr. Helder Vinicius Ribeiro, Dr. Lucas Moreira.

#pneumopr #pneumologia