BOLETIM DA APPT SOBRE A PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS 12 DE MARÇO DE 2020

BOLETIM DA APPT SOBRE A PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS 12 DE MARÇO DE 2020

Destaques:

Em 31 de dezembro de 2019 na cidade de Wuhan na China foram detectados casos de pneumonia provocada por um novo coronavírus denominado SARS-COV-2 pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e a doença recebeu o nome de COVID-19 (Sigla em Inglês para “Doença causada pelo coronavirus descoberto em 2019”).

Até o presente momento, como não há tratamento ou vacina disponível contra o SARS-COV-2, é muito importante praticarmos as medidas preventivas para diminuir a capacidade de contágio deste novo coronavírus, como por exemplo:

1) Ao tossir ou espirrar, utilize o antebraço ou um lenço descartável, ao invés de
utilizar as mãos (“etiqueta da tosse”).

2) Não tocar a face, olhos, nariz, boca.

3) Higienização: Lave as mãos com água e sabão várias vezes ao dia ou na impossibilidade de lavar as mãos, utilize álcool gel a 70%!

4) Limpe óculos, telefones celulares, teclados, mouse, mesas e outras superfícies de uso diário com álcool líquido 70% e em seguida lave as mãos com água e sabão.

5) Lembrar e ensinar estes itens a todos os membros da família, da sua escola e/ou do seu local de trabalho para que pratiquem frequentemente, especialmente antes das refeições.

Na última quarta-feira, dia 11 de março de 2020, a OMS estabeleceu a COVID-19 como uma Pandemia (Epidemia Mundial), visto que o SARS-COV-2 está em atividade e circulando em todos os continentes com elevado número de casos em várias regiões e países, com destaque neste momento para a região da Europa Central (Itália), Oriente Médio (Irã), Ásia (China, Coréia do Sul, Singapura e Japão), Oceania (Austrália) e Américas (Estados Unidos, Canadá, México, Brasil e Argentina).

Brasil: Segundo o Ministério da Saúde do Brasil até às 11 horas do dia 12/03/2020 haviam 60 casos de COVID-19 confirmados no país, com evidência da ocorrência de transmissão local, ou seja, o vírus está sendo transmitido a partir de uma pessoa que não viajou ao exterior, um indicativo de que o novo coronavírus está circulando no país.

A situação no Brasil até esta data é de atenção e de observação em relação aos próximos acontecimentos sendo aconselhado para que a população siga com calma e confiança as orientações das autoridades sanitárias como o Ministério da Saúde, a Secretaria de Saúde do Estado do Paraná e do município onde reside.

Esclarecimentos:

A maioria dos casos de COVID-19 são classificados como leves (~80%), significando que não necessitam de internação hospitalar, sendo recomendado a permanecer em quarentena, também conhecida como isolamento respiratório domiciliar. Os casos que necessitam de hospitalização perfazem cerca de 15%: E em uma minoria de casos pode ser necessário o suporte em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI).

Por que é preciso ter cuidado?

Conforme dito acima, ainda não há tratamentos ou vacina disponíveis para o SARS-COV-2. Além disso, este novo coronavírus possui uma alta capacidade de contágio. A chamada “R0”, representa o número médio de “contagiados” por cada pessoa doente. A “R0” do SARS-COV-2 gira em torno de 3. Em outras palavras, isso significa que um portador de COVID-19 transmite este novo coronavírus para outras 3 pessoas. Para fins de comparação, o R0 da gripe suína provocada pelo vírus influenza H1N1 durante a pandemia de 2009 foi menor, de aproximadamente 1,5.

Eu preciso me preocupar em usar máscaras cirúrgicas ou máscaras profissionais N-95 para estar protegido e ir ao trabalho ou a escola? Não! Máscaras só devem ser usadas em três situações:
1) Por Profissionais de Saúde;
2)Por pacientes sintomáticos;
3) Por cuidadores de pacientes.

A preocupação maior é com os idosos e portadores de doenças respiratórias (tabagistas, DPOC – enfisema pulmonar/bronquite, Asma, Fibrose Pulmonar, etc), portadores de doenças cardíacas, diabetes, portadores de câncer, e imunossuprimidos.

As medidas de prevenção listadas acima são justamente para evitar que o vírus atinja a população como um todo e especialmente não atinja aos grupos de risco.

O período de incubação do SARS-COV-2, que é o tempo entre o dia do contato com um portador da COVID-19, e o início dos primeiros sintomas, gira em torno de 5 dias. Já o período de contágio pode ocorrer até depois do término dos sintomas. Por isso é importante mantermos e aceitarmos o período de quarentena quando indicado pelo Médico.

Crianças raramente são afetadas, não houve até este momento relato de óbitos nessa população. Todavia, as crianças e adolescentes podem transmitir o vírus SARS-COV-2 para os pais e idosos da família como os avós, principalmente por terem contato mais próximo com beijos e abraços. O SARS-COV-2 é transmitido pelo ar através de gotículas ao tossir, espirrar, falar e pelo contato das mãos com os olhos, bocas e nariz. Por isso é que se recomenda para não tocar o rosto.

Proteção de Agentes de Segurança, Polícia, Guardas Municipais, Agentes de Defesa Civil, Bombeiros, Militares, procurem seguir as determinações de suas corporações e as orientações da Autoridade Sanitária e em paralelo seguir as recomendações usuais de prevenção listadas neste boletim.

Profissionais de Saúde são a primeira linha de atendimento à população e, portanto, guardiões da saúde pública. Sendo assim, precisam utilizar equipamentos de proteção individual (EPI) para evitar o contágio durante o atendimento de pacientes suspeitos ou confirmados de COVID-19.

Para atendimento ambulatorial recomenda-se o uso de máscara cirúrgica. Para procedimentos que envolvam aerossóis, como na intubação, recomenda-se o uso de um kit composto de máscara N-95 ou PFF2, avental, luvas descartáveis e óculos ou protetor facial.

Mensagens Finais:
 Preste muita a atenção em relação às medidas de prevenção!

 Avalie a necessidade de isolamentos sociais, evitando reuniões, eventos e atividades em grupos consideradas não essenciais na sua cidade.

 Proteja os asilos e os idosos prioritariamente, afinal eles constituem o principal grupo de risco juntamente com os portadores de doenças crônicas.

 Alertamos para que mercados, supermercados, laboratórios, farmácias, bancos, agências de Correios e demais estabelecimentos ofereçam álcool gel a 70% para, por exemplo, passar nos carrinhos, corrimão, maçanetas, etc, respeitando assim as medidas de prevenção!

 Insista na etiqueta da tosse! Tossir/espirrar é no braço agora! E não mais na mão! Insista na lavagem frequente das mãos com água e sabão. Não toque a boca, olhos e nariz. Lembre: o uso de máscaras é recomendado apenas para quem está doente e para profissionais de saúde! Respeitar essa medida é importante para que não faltem EPIs para quem é responsável pela nossa proteção!

 Dúvidas? Procure um(a) Pneumologista ou seu Médico(a) de confiança! E não esqueça: A hora é agora! Precisamos achatar a curva da epidemia através das medidas de prevenção! Lave as mãos e #AchateACurva!

Associação Paranaense de Pneumologia e Tisiologia (APPT) / Comitê Coronavírus APPT Presidente da APPT: Dr. Irinei Melek
Participaram da elaboração deste Documento: Dr. Marcos Nascimento, Dr. Helder Vinicius Ribeiro, Dr. Lucas Moreira.

#pneumopr #pneumologia

COMUNICADO JORNADA PARANAENSE DE PNEUMOLOGIA

COMUNICADO JORNADA PARANAENSE DE PNEUMOLOGIA

Em virtude da incerteza da disseminação do coronavírus e sua real consequência a diretoria da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia está recomendando a suspensão das reuniões presenciais.
Assim foi discutido o assunto e resolvemos adiar a nossa Jornada Paranaense de Pneumologia que seria realizada este mês nos dias 27 e 28.
Acompanhamos de perto a crise e achamos que não há motivo para pânico, mas o bom senso recomenda esta medida no momento.
 
Atenciosamente,
Diretoria Associação Paranaense de Pneumologia
 
#pneumopr #pneumologia
SAVE THE DATE – 27 e 28 de março

SAVE THE DATE – 27 e 28 de março

Programação completa da  Jornada Paranaense de Pneumologia. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas através do e-mail (contato@pneumopr.org.br).

Local : Associação Médica do Paraná .

Endereço : Av. Cândido Xavier 575 – Água Verde .

Programação:

27/03 Sexta-Feira

19:00 Welcome Coffee

19:30 Abertura Oficial e Homenagens.

20:10 Apresentação de trabalhos destaques.

20:45 Atualização coronavírus ( Dr. Lucas Moreira)

21:15 Atualização do manejo da Asma Grave Eosinofílica.

( Dr. Roberto Stirbulov)

 

Sábado 28/03

08:00 Welcome Coffee

08:30 Imagem Torácica no Idoso.

(Dr. Dante Escuissato)

09:00 Derrame Pleural.

( Dr. Paulo Boscardim )

09:30 Intervalo para coffee.

10:00 Impacto clínico da doença de pequenas vias aéreas na DPOC.

(Dr. Frederico Leon Arrabal Fernandes )

Espaço produto Chiesi.

10:30 Toxicidade Pulmonar por Drogas.

( Dra. Mariana Sponholz Araujo).

11:00 Diagnóstico diferencial das Bronquiectasias.

( Dr. Vitor Dias )

11:30 Cada exacerbação em DPOC conta: como intervir hoje pelo futuro do paciente.

( Dr. Roberto Stirbulov )

Espaço produto GSK.

Dia Mundial da Pneumonia

Dia Mundial da Pneumonia

As pneumonias representam a principal causa de mortalidade entre as doenças infecciosas do ser humano no mundo.  De acordo com levantamentos da Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 1,6 milhão de pessoas perdem a vida em função da enfermidade anualmente.

No dia 12 de novembro, é comemorado o Dia Mundial da Pneumonia, data criada em 2009 para conscientizar a população e estimular a adoção de políticas de combate à doença.

Os números da pneumonia são impressionantes. Ela é a principal causa de óbitos por doenças infecciosas em menores de cinco anos (920.000 ou 15% do total, em 2015), o que supera a soma dos relacionados à malária, ebola, tuberculose, zika e HIV no grupo no mesmo período. No Brasil, dados fornecidos pelo Datasus indicam que o problema foi responsável por 144.661 internações e 908 mortes de crianças da faixa etária entre janeiro e setembro de 2016.

Outro público extremamente suscetível é o de idosos. Estudos internacionais apontam que um a cada seis episódios que requerem hospitalização e 90% de todos os óbitos por pneumonia ocorrem em maiores de 60 anos. No Brasil, de janeiro a setembro de 2016, também de acordo com o Datasus, a pneumonia nesta parcela da população resultou em 181.902 internações e 34.726 mortes.

Embora o número absoluto de mortes no Brasil tenha crescido devido ao aumento da população e ao seu envelhecimento, quando a taxa de mortalidade por PAC é padronizada por idade, observa-se uma queda de 25,5% no período compreendido entre 1990 e 2015. A melhora da situação socioeconômica, o maior acesso a cuidados de saúde, a disponibilidade nacional de antibióticos e as políticas de vacinação explicam em parte a redução das taxas de mortalidade em nosso meio.

Os principais sintomas são febre, tosse, dor torácica e eventualmente falta de ar. A avaliação médica é indispensável para confirmar o diagnóstico clinico ou radiologicamente e iniciar prontamente o tratamento. Vírus e bactérias são ao agentes causais, com amplo destaque para a bactéria Streptococus  pneumoniae conhecida como pneumococo, responsável pela maioria dos casos. A disponibilidade de antibióticos eficazes, inclusive de uso oral têm permitido um índice maior de cura e uma importante redução do número de internamentos e consequentemente dos custos.

A ampla divulgação e comprovação da prevenção das pneumonias através de vacinas anti-pneumocócicas, também representam um importante passo no controle desta temida infecção.

Dr. Rodney Luiz Frare e Silva

Dia Mundial Sem Tabaco 2018: Tabaco e cardiopatias

Dia Mundial Sem Tabaco 2018: Tabaco e cardiopatias

31 de maio de 2018

A cada ano a OMS e seus associados celebram o Dia Mundial Sem Tabaco para lembrar sobre os riscos associados ao tabagismo, tanto para a saúde como em outros âmbitos e pleitear por políticas eficazes para reduzir o seu consumo.

O lema do Dia Mundial Sem Tabaco 2018 é: “Tabaco e cardiopatias”. A campanha visa chamar a atenção sobre:

  • a relação entre o tabaco e as cardiopatias e outras enfermidades cardiovasculares, entre elas o AVC, cardiopatia coronariana, vasculopatia periférica que conjuntamente são as principais causas de mortes no mundo.
  • Possíveis medidas e ações que destinatários importantes, entre eles os governos e o público em geral, podem adotar para reduzir os riscos para a saúde causados pelo consumo do tabaco.

Apesar do conhecimento dos danos para a saúde cardíaca provocados pelo tabaco e da disponibilidade de soluções para reduzir a morbiletalidade que ocasiona, amplos setores da população desconhecem que é uma das principais causas das enfermidades cardiovasculares.

Epidemia mundial do tabaco causa a cada ano mais de 7 milhões de mortes em todo o mundo, 900.000 das quais correspondem a pessoas não tabagistas (tabagistas passivos).

As metas para 2018 são as sequintes:

  • Divulgar amplamente a relação entre o consumo de produtos do tabaco e as cardiopatias e outras enfermidades cardiovasculares.
  • Aumentar a conscientização da população em geral sobre as consequências para a saúde cardiovascular pelo consumo do tabaco.e através do tabagismo passivo.
  • Exigir dos governos e público em geral a promoção da saúde cardíaca protegendo as pessoas da poluição tabagística.
  • Exigier dos governos a aplicação das medidas MPOWER de luta contra o tabaco que figuram na Convenção Quadro para o Controle do Tabagismo da OMS, cuja eficácia está comprovada (Monitor, Protect, Offer, Warn, Enforce, Raise).

(Tradução e texto resumido da mensagem da OMS / 2018).

Jonatas Reichert

DPOC

DPOC

O Dia Mundial da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) celebra-se em toda terceira quarta do mês de novembro. É um evento anual organizado pela Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease – iniciativa global para DPOC (GOLD) que conta com a colaboração dos pneumologistas de todo o mundo com objetivo de sensibilizar a população geral para o problema.

A DPOC é uma doença pulmonar que obstrui as vias aéreas, tornando a respiração difícil. DPOC significa Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica.

A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica é uma doença crônica progressiva que acomete os pulmões e tem como principais características a obstrução dos brônquios e destruição de seus alvéolos e o comprometimento dos restantes. Estes componentes da DPOC são conhecidos como bronquite crônica e enfisema, termos estes mais conhecidos pelos leigos.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 210 milhões de pessoas no mundo tem DPOC[2] e a estimativa é que a doença se torne a terceira principal causa de morte por volta de 2020[3].

No Brasil, a DPOC atinge cerca de 6 milhões de pessoas. Somente 12% dos pacientes são diagnosticados e desses apenas 18% recebem tratamento.

O tabagismo é o principal fator de risco para DPOC e sua origem é fortemente ligada ao efeito da fumaça de cigarro nos pulmões, havendo relação a quantidade e tempo de tabagismo com ao gravidade da doença. Tem normalmente instalação lenta, mas pode evoluir de modo mais rápido levando a incapacidade por insuficiência respiratória e óbito. Outros tipos de fumo como o cachimbo, narguilé, maconha e a exposição passiva também contribuem para causar e piorar a doença. A poluição ambiental, a queima de biomassa como as queimadas de lavouras e uso de lenha para cozinhar, como o fogão a lenha, entram também neste grupo. Há mais raramente a deficiência de alfa 1 antitripsina, doença genética, causadora da doença.

Os principais sintomas da DPOC são: falta de ar aos esforços que pode progredir até para atividades corriqueiras como trocar de roupas ou tomar banho. Muitas vezes leva ao uso contínuo de oxigênio, pigarro, tosse crônica, tosse com secreção e que piora pela manhã são os outros sintomas comuns. A DPOC se associa fortemente com outras doenças (chamadas comorbidades) como a doença coronariana, osteoporose, depressão, ansiedade, além da perda de massa muscular.

Embora a DPOC não tenha cura, os tratamentos disponíveis atuam retardando a progressão da doença, controlando os sintomas e reduzindo as complicações. É fundamental consultar um médico pneumologista para diagnóstico e tratamento adequados. A fisioterapia e os exercícios físicos com orientação profissional adequada de um fisioterapeuta também são aliados do paciente.

A Sociedade Paranaense de Tisiologia e Doenças Torácicas (SPTDT) foi fundada em 9 de abril de 1942 por 23 médicos do Paraná. Sua história confunde-se com a luta contra a tuberculose no estado, doença que assolava o país. Houve então a criação de uma sociedade para congregar idealistas, o que permitiu ao Paraná uma visibilidade no cenário nacional.

Os ideais da SPTDT foram desde o início bem claros e estão no Estatuto, cujos itens podemos assim resumir:

– Congregar especialistas em Tuberculose e Doenças Torácicas;

– Divulgar estudos entre PNEUMOLOGISTAS, CIRURGIÕES TORÁCICOS e classe médica em geral;

– Propor ações na esfera municipal, estadual, federal e particular como melhor combater a tuberculose e AS DOENÇAS QUE ACOMETEM OS PULMÕES E AS VIAS RESPIRATÓRIAS;

– Estimular os estudos na área.

Dr. Irinei Melek

Dia Mundial da Asma

Dia Mundial da Asma

Prezado Associado, um breve resumo nesse dia 03/05/2017 o dia mundial da Asma.

O Dia Mundial da Asma foi criado para trazer mais divulgação e conhecimento a respeito dessa condição e para melhorar o seu tratamento. Por ocasião dessa importante data, a SPTDT traz algumas informações sobre o tema.

A asma é uma doença respiratória crônica, que causa inflamação nas vias aéreas e afeta pessoas de todas as idades.

A maioria dos casos começa na infância, com mais da metade dos pacientes podendo apresentar melhora na adolescência. No entanto, os sintomas voltam a se manifestar na idade adulta em um terço dos casos.

È de difícil prevenção e o risco de desenvolvê-la está associado a interação de fatores genéticos e ambientais, como exposição a alérgenos ou poluentes.

Os sintomas mais comuns são tosse, sibilos(chiado), falta de ar e opressão torácica, que ocorrem principalmente de noite e no começo da manhã e podem variar de intensidade, de sintomas leves até crises que necessitam de hospitalização.

Em geral, os sintomas pioram com infecções respiratórias e ocorrem com maior frequência no inverno. Nos pacientes que tem alergias, os fatores de piora podem ser os ácaros domésticos. Sugere-se evitar o cigarro bem como o tabagismo passivo para evitar piora do quadro clínico

 

A piora dos sintomas relacionada à exposição no local de trabalho sugere asma ocupacional. O afastamento do profissional do ambiente laboral a que está submetido é obrigatório para a redução dos sintomas.

Outros “gatilhos” para as crises respiratórias são a realização de atividade física no frio e a poluição relacionada ao tráfego de veículos

Estima-se que no mundo existam mais de 300 milhões de pessoas diagnosticadas com Asma e, no Brasil, as estatísticas revelam que quase 20 milhões de pessoas de todas as idades e etnias tenham a mesma condição.

Na maior parte dos casos não há cura, mas o controle adequado dos sintomas se dá com o uso de medicações bastante seguras, que deve ser de uso regular e diário. Consultas regulares com especialistas são de fundamental importância na atenção ao paciente com asma.

“A asma mata ao menos 3 pessoas todos os dias. A mudança está em nossas mãos”.

Maiores informações:http://www.ginanobrasil.org.br/2015/10/06/slides-kit-gina-traduzido-portugues-brasil/

Texto escrito pelo Dr. Áquila Carneiro.

Datas Comemorativas

Datas Comemorativas

O Dia do Médico é comemorado no dia 18 de outubro na maioria dos países, inclusive no Brasil. Esta data foi escolhida para celebrar o dia dos médicos de todas as áreas da saúde, que salvam vidas e que se dedicam tanto para dar qualidade de vida a seus pacientes. O Dia do Médico teve como inspiração São Lucas – escolhido pela igreja católica para ser o santo padroeiro da Medicina, pois há relatos de que ele teria estudado medicina, ficando assim, conhecido como o santo que representaria essa data tão importante, que é o Dia do Médico.

Datas de algumas áreas específicas e mais tradicionais da medicina e da saúde

21/03 Dia Mundial do Sono

24/03 Dia Nacional e Mundial de combate a Tuberculose.

03/05 Dia mundial da Asma

31/05 Dia Mundial sem Tabaco.

02/06 Dia do Pneumologista.

21/06 Dia Nacional da Asma

29/08 Dia Nacional de combate ao fumo.

05/07 Dia Nacional da Conscientização e Divulgação da Fibrose Cística.

18/10 Dia do Médico.

17/11 Dia Mundial do DPOC.

27/11 Dia Mundial de combate ao câncer.